Falta de personalidade

Não sei mais o que está acontecendo. Na verdade, eu não sei se realmente há algo acontecendo, talvez não esteja e talvez seja esse o problema. Eu já vi muitos relacionamentos falharem, e aprendi com eles que tem uma coisa muito simples que os destrói, a cada um deles, ciúmes. No início é só uma perturbação suave, como a causada quando jogamos uma pedra dentro d’água, e então isso cresce e se transforma, de repente tudo é ciúme. Tudo é consumido por essa necessidade de posse sobre o outro, saber onde está, pra onde vai, com quem está e no que está pensando.

Não é saudável, e eu mesma nunca fui assim. Atualmente, porém, me vejo diferente. Estou quase me sentindo psicótica, e bem, isso me incomoda muito. Não quero me preocupar com nada dessas coisas, não quero me sentir eternamente perseguida por um fantasma. Eu não sou assim, a acabei me tornando algo que não sou. Na verdade, nos últimos tempos tenho me tornado muitas coisas que não sou.

Eu me tornei meio passiva, eu ando aceitando as coisas, eu ando abaixando a cabeça, eu deixei minhas certezas de lado, deixei minha guerras pra lá, minhas frustrações estão ficando guardadas, uma junto com a outra, em cima da outra, uma somando a outra. E eu estou quieta. Essa não sou eu!

Eu Virgínia, sou forte, eu enfrento os meus problemas, eu falo o que tenho que falar, eu brigo pelo que eu tenho que brigar. E eu vou me reencontrar no meio desse caos em que eu estou. E quando eu voltar tudo isso vai ser diferente.

Anúncios

Palavras apenas…

“Amor não se conjuga no passado, ou se ama para sempre ou nunca se amou verdadeiramente” *

Cansei dessas palavras vazias, palavras de tanto valor, de inestimável valor, que perderam seus sentidos porque foram usadas de forma errada, jogadas ao vento como se nada significassem, como se fossem uma junção aleatória de letras que jamais fizeram sentido algum. E agora todos nós, letrados, estudados, alfabetizados, ficamos sem definições porque as que tínhamos se perderam por conta de alguns desavisados, talvez inconsequentes, alguns tantos tolos que não se importam com o peso de uma palavra.

Estou falando de amor, sempre estou falando de amor… Não foi o amor que foi banalizado como adoram dizer por aí, foi a palavra. Não se banaliza um sentimento, porque ele não pode ser praticado por quem desejar, ele será sentido de acordo com o momento, com a disponibilidade dos corações, ele será sentindo quando ele surgir e ponto. Sentimentos são totalmente independentes, não te pedem licença, não te perguntam se você os quer acolher. Então não venham me dizer que banalizaram o amor.

Simplesmente transformaram a palavra amor em uma palavra que não pode mais conter seu sentido. A explicação que dão para o amor não o explica, e a definição só serve para limitá-lo. E não, a palavra amor já não pode conter o sentido infinito e eterno do sentimento. E essas são outras duas palavras que perderam seus sentidos.

Vamos entender isso rapidamente aqui: eterno é algo que dura para sempre, que é inalterável, constante, enorme, desmedido. Pense nisso na próxima vez que for juntar amor e eterno na mesma frase, e não me cometa a bobagem de afirmar algo que sabe não ser verdade. Não existe eu amava e nunca vai existir.

Amor é aquilo que quando você consegue definir de alguma maneira, é porque você não sente. Amor que acaba não é amor. Amor que acontece de hoje pra amanhã não é amor. Não existe amor a primeira vista, existe paixão a primeira vista, um encantamento súbito que talvez te leve ao amor, talvez não. Amor é pra sempre, e lembre-se, apesar de “sempre” ser uma palavra pequena ela tem um significado imenso, um significado que também deixou de caber na palavra porque as pessoas usam um pra sempre que acaba. Sempre é sempre, todo dia, toda hora, pro resto da sua vida.

O amor é a união de todas as coisas que não somos capazes de definir, quantificar ou limitar. É a união de tudo o que não cabe em sim, de todas as palavras que banalizamos, te todos os clichês que perpetuamos. Amor é a junção do eterno, do infinito e do para sempre ditos muitas e muitas vezes. Vividos muitas e muitas vezes. O amor é. Simplesmente é. Ele é maior que tudo o que você já foi, até porque amor não cabe em uma só pessoa, ele não é feito de “eu sinto” e sim de “nós sentimos”.

* Não sei de quem é a autoria da frase, cada site atribui a uma pessoa então fiquei na dúvida. Se alguém souber COM CERTEZA de que é, por favor, me avise. 😉

Quase uma conjugação verbal…

Faça o que for necessário para ser feliz. Mas não se esqueça que a felicidade é um sentimento simples, você pode encontrá-la e deixá-la ir embora por não perceber sua simplicidade.
Mário Quintana

Eu não sei bem o que estou escrevendo agora, então talvez não valha a pena você ler… é só um toque, não quero ser xingada caso você leia tudo e no fim veja que foi só um texto vazio. Mas assim mesmo como você está lendo essas palavras e sendo surpreendido por elas, já que não fazia ideia do que iria ler, eu também estou sendo. Hoje estou escrevendo no tato, me surpreendo com o que está aparecendo, porque estou vazia de certas maneiras.

Estou vazia de sentimentos inúteis acredito. Vazia de raiva, de mágoa, de medo e arrependimento. Vazia de medo, de incertezas. Vazia de tudo aquilo que eu não preciso. E também estou cheia. Cheia de sorrisos, de gargalhadas por motivos idiotas, cheia de bom humor, de amigos, de família. Ah, estou cheia de amor, paixão.

Estou também sem medo algum de aproveitar tudo isso. Porque acho que as pessoas tem essa tendência, elas temem os momentos bom porque sabem que tudo pode mudar a qualquer momento. Mas dessa vez eu não estou assim. Não estou assustada, acuada.

Na verdade, eu estou. ESTOU. Talvez seja isso que realmente importa não é?! Passei tempo demais pesando como fazer, o que ser, como agir, que na verdade eu não fui nada. Passei tempo demais sublimando tudo aquilo que importa com as besteiras mais absurdas. Então eu estou.

Estou um monte de coisas também. Estou trabalhando, fazendo bolos de chocolate, estou cuidando do meu rato, estou amando apaixonadamente, estou reclamando de filmes ruins e sorrindo com os bons. Estou me divertindo. Estou fazendo tudo o que sempre fiz. Mas a diferença é que estou dando valor a todas essas coisas. E talvez esse seja o propósito de viver, talvez seja apenas estar.

Dizem que você não encontra a felicidade, você vive um pouquinho dela todos os dias. Então, estou também encontrando e vivendo a minha felicidade todo dia.

Então se o propósito de tudo é estar, ser, os dois ao mesmo tempo… Então acho que perdi também bastante tempo apenas deixando tudo acontecer sem mim. Porque agora que eu realmente “estou sendo”, vejo que deixei de ser por medo de errar, por medo de parecer boba. Mas quem liga se você é um bobo ou não? Antes ser um bobo feliz do que um centrado deprimido.

Falei demais né?! Bom, se você foi lendo até aqui então eu sugiro que você experimente estar também. Porque “o que se leva da vida, é a vida que se leva”.

Um em um milhão.

Da vontade de chamar atenção: Se fingir de infeliz, não te trará atenção por muito tempo, mas pena você realmente deve conseguir.

Eu ia pedir desculpas por não estar escrevendo, mas foda-se, praticamente ninguém lê isso aqui mesmo. Mentira, a não ser que o contador de visitas seja uma farsa total, eu tenho várias visitas diárias. Mas vou te contar uma coisa só, o post mais visitado é esse aqui:  O que é escuridão? Tem um motivo bem simples… As pessoas digitam isso na caixa de busca do Google: fotos para tumblr solidão/triste.

Quer dizer, acho que só tem gente deprimida na porra da internet, me incluindo, de certa maneira. Sei lá porque as pessoas tem essa mania de falar coisas tristes, porque eu tenho essa mania. Acho que somos tendenciosos, quando ficamos tristes dá mais vontade de encher o saco de alguém com as nossas lamentações. Mas é que também não dá pra sair fazendo piada todo dia, e postando textos alegres.

E é estranho, porque quando eu leio o meu blog, e tantos milhões de outros, só o que eu vejo é desolação. Eu mesma nos meus bons dias não reconheço a criatura que escreveu esses textos. Parece que as pessoas tem se entregado e se prendido mais aos sentimentos ruins que aos bons, e quando vão ler, procuram coisas deprimentes, quando escrevem, escrevem coisas deprimentes. E não me engane querendo dizer que nunca colocou música de fossa quando estava triste…

Temos o péssimo hábito de alimentar a tristeza e temer a alegria. Pro caralho com tudo isso. Tô cansada dessas coisas, a gente fica com medo o tempo todo. A gente fica com medo de ser feliz, de amar, de sorrir. A gente fica com medo até de falar o que a gente sente, porque sabe que quem escutar vai contar para outras pessoas. É simplesmente detestável.

Então para os que queriam minha tristeza, aqui está o meu mais belo sorriso. Para aqueles que queriam o meu silêncio deprimido, aqui está o meu mais alto grito de liberdade. Para todos aqueles que esperavam o meu sofrimento, aqui está a melhor de todas as recuperações.

PS:. Da próxima vez que procurar a porra da foto pra por no tumblr e escrever solidão… Digita sorriso, porque se torturar não cura sofrimento, nada melhor que um sorriso.

Uma estranha…

Sempre precisei de um pouco de atenção
Acho que não sei quem sou
Só sei do que não gosto
E destes dias tão estranhos
Fica a poeira se escondendo pelos cantos.
Legião Urbana

Eu nunca tive medo de mim, mas ultimamente ando com esse terror. Provavelmente porque eu não sei exatamente onde estou. Não estou me reconhecendo. Acho que me perdi dentro de mim, e enquanto não encontrar o caminho de volta, vou continuar me sentindo assim. Uma perdida. Estranha. Desencontrada.

Estou assustada. Como você se sentiria se achasse que é de um jeito, e de repente, alguém te dissesse que você é completamente diferente? Eu estou realmente perdida. E tenho que me encontrar. Eu PRECISO me reencontrar. Sei que está aqui dentro, meio largado, mas está. Estou cansada de ver esse olhar no espelho, não é o meu olhar, é apenas uma desconhecida.

Também estou com medo dos meus sentimentos. Estou atraída pelo proibido. Tenho consciência de que a maioria das pessoas se atraí pelo que não podem possuir. Mas eu sempre tive certo controle sobre isso. E no momento estou sendo arrastada para ele, e não estou fazendo nada para conter essa situação… Na verdade, acho que é por isso que estou me sentindo tão aterrorizada. Eu me perdi no momento em que olhei naqueles olhos, fiquei em suspenso quando me deparei com aquela sensação.

Não estou fazendo o menor sentido…

By: Viih Loyer

A menina que não sabia amar

♫ I’m thinking maybe I can’t have relationships
‘Cause lately they’re not making any sense ♪

A grande verdade é que eu não sei amar. Acabo fazendo tudo errado e nem sequer sei onde errei.

Sou mais feliz quando não estou apaixonada, quando não me preocupo com alguém. Não sou do tipo que espera demais ou tem grandes idéias para o futuro, mas eu me decepciono com as coisas. Não sou muito de perdoar, mas quando amo acho que me rebaixo até o último nível existente. Na verdade, eu acho que nunca amei, apenas me prendi ao desafio, a paixão de momento, aos obstáculos. E isso me levou aos extremos que cometi, e eu juro, aquilo não se chamava amor.

Quando eu amo, fatalmente sofro. E olha que todo mundo diz que o amor é uma coisa bela… Como foi muito bem dito no filme ABC do Amor “ele roubará seu coração e te deixará sangrando no chão”.

Os orientais acreditam que o amor duradouro é aquele que foi cultivado, que foi tratado com carinho e desabrochou dentro dos corações. Mas será? Isso é mesmo possível? Se fazer amar, se fazer gostar de alguém? E talvez seja, já que minhas tentativas de criar o amor de uma recente paixão sempre acabaram frustradas. E pior, quando a paixão acaba eu sinto uma repulsa, uma coisa ruim.

No Japão eles tem formas diferentes de dizer “Eu te amo”. Daisuki para amigos e ficantes, Aishiteru para namoros sérios, e Koishiteru para aquele que você sabe que amará eternamente. Uma vez eu disse que o amor não pode ser catalogado, porque nós sequer sabemos o que ele é…. De certa forma é verdade, mas por outro lado, acho que eu sempre disse Daisuki sem notar, e me decepcionei no final.

Eu só espero poder um dia dizer Koishiteru, e ouvir isso de volta. Sem me magoar e humilhar no processo.

By:. Viih Loyer

Conhecer …

Só existe opção quando se tem informação…Ninguém pode dizer que é livre para tomar o sorvete que quiser se conhecer apenas o sabor limão.
Gilberto Diemnstein

Estamos na era da informação. A velocidade com que as coisas acontecem e são reproduzidas é tão grande que a quantidade de informação emitida é gigantesca. E nós parecemos estar cada vez mais desinformados. Porque há tanto para saber que proporcionalmente nos tornamos sim desinformados, um conceito bastante interessante na realidade. Se não tomarmos cuidado somos taxados de alienados mesmo estando bastante inseridos no mundo. Apenas não somos capazes de acompanhar todos os acontecimentos. Como diz aquela música? Tudo ao mesmo tempo agora.

Andei reparando uma coisa bastante interessante, tudo está se tornando obsoleto rápido demais. E eu nem estou falando dos avanços de aparelhos eletrônicos, e bem que eu poderia. Porque sou só eu ou todos também notaram como os celulares estão sempre um passo a nossa frente? Sério, onze anos atrás o primeiro desses aparelhos entrou na minha casa. Ele era gigantesco e sua tela parecia com a de uma calculadora, exibia apenas os números e ainda por cima na cor laranja. E hoje, bem, hoje eles são praticamente computadores. Mas o exemplo que eu queria mesmo dar era o das músicas. As que foram lançadas um ano atrás  são consideradas antigas. Basta você dizer que gosta de uma delas e o olhar de “ei, você já ouviu falar em internet?” ser lançado na sua direção. Eu gosto de músicas de vinte anos atrás, imagine que tipo de olhares eu recebo.A verdade é que no futuro, nós não dividiremos o tempo como fazemos hoje, mencionando décadas de 70, 80 e 90. Teremos que arrumar alguma divisão menor, que consiga conter todos os avanços pelos quais estamos passando.

O bom é que com tudo isso criamos uma sociedade de indivíduos totalmente diferentes uns dos outros, e isso torna muito mais interessante conhecer qualquer pessoa. O ruim é que uma parcela dessa sociedade se tornou, vamos dizer, gado guiado. Aconteceu porque tanta opção e informação deixa as pessoas confusas, então elas aderem alguma tendência que outros já usam para se absterem de fazer uma escolha usando seu próprio pensamento. Isso explica o grande número de coloridos, fãs do Justin Bieber (e geralmente vem no pacote Jonas Brothers e outros importados da Disney), e de crepúsculo (que trás no pacote todas outras séries vampirescas). Note que não estou criticando nenhum dos artistas envolvidos, estou criticando as pessoas.

E mais uma vez não estou criticando o que elas escolheram, como diz o ditado “gosto e cú cada um tem o seu“. É só que as pessoas costumam se prender a isso como se não houvesse nada mais no mundo. E elas na maioria das vezes tentam se justificar, porque gostam, porque se deve gostar. Como se eles precisam provar seus motivos e gostos. E na maior parte do tempo eles se prendem tanto a provar que se torna uma obsessão e elas não se dão a chance de conhecer coisas novas. A verdade é que a mesma pessoa pode gostar de coisas totalmente opostas, mas escolhem o estilo pré-desenvolvido que torna tudo limitado.

O que eu espero é que consigamos aproveitar as oportunidades que essa era está lançando. Que consigamos com tudo isso criar uma geração de críticos. E eu disse críticos não revoltados, porque esses reclamam sem bases apenas pra chamar atenção. A grande realidade é que informação bem aproveitada é liberdade, conhecimento é liberdade, basta que saibamos aproveitar essas oportunidades.