Quase uma conjugação verbal…

Faça o que for necessário para ser feliz. Mas não se esqueça que a felicidade é um sentimento simples, você pode encontrá-la e deixá-la ir embora por não perceber sua simplicidade.
Mário Quintana

Eu não sei bem o que estou escrevendo agora, então talvez não valha a pena você ler… é só um toque, não quero ser xingada caso você leia tudo e no fim veja que foi só um texto vazio. Mas assim mesmo como você está lendo essas palavras e sendo surpreendido por elas, já que não fazia ideia do que iria ler, eu também estou sendo. Hoje estou escrevendo no tato, me surpreendo com o que está aparecendo, porque estou vazia de certas maneiras.

Estou vazia de sentimentos inúteis acredito. Vazia de raiva, de mágoa, de medo e arrependimento. Vazia de medo, de incertezas. Vazia de tudo aquilo que eu não preciso. E também estou cheia. Cheia de sorrisos, de gargalhadas por motivos idiotas, cheia de bom humor, de amigos, de família. Ah, estou cheia de amor, paixão.

Estou também sem medo algum de aproveitar tudo isso. Porque acho que as pessoas tem essa tendência, elas temem os momentos bom porque sabem que tudo pode mudar a qualquer momento. Mas dessa vez eu não estou assim. Não estou assustada, acuada.

Na verdade, eu estou. ESTOU. Talvez seja isso que realmente importa não é?! Passei tempo demais pesando como fazer, o que ser, como agir, que na verdade eu não fui nada. Passei tempo demais sublimando tudo aquilo que importa com as besteiras mais absurdas. Então eu estou.

Estou um monte de coisas também. Estou trabalhando, fazendo bolos de chocolate, estou cuidando do meu rato, estou amando apaixonadamente, estou reclamando de filmes ruins e sorrindo com os bons. Estou me divertindo. Estou fazendo tudo o que sempre fiz. Mas a diferença é que estou dando valor a todas essas coisas. E talvez esse seja o propósito de viver, talvez seja apenas estar.

Dizem que você não encontra a felicidade, você vive um pouquinho dela todos os dias. Então, estou também encontrando e vivendo a minha felicidade todo dia.

Então se o propósito de tudo é estar, ser, os dois ao mesmo tempo… Então acho que perdi também bastante tempo apenas deixando tudo acontecer sem mim. Porque agora que eu realmente “estou sendo”, vejo que deixei de ser por medo de errar, por medo de parecer boba. Mas quem liga se você é um bobo ou não? Antes ser um bobo feliz do que um centrado deprimido.

Falei demais né?! Bom, se você foi lendo até aqui então eu sugiro que você experimente estar também. Porque “o que se leva da vida, é a vida que se leva”.

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s