Como nos velhos tempos

“But your still young, and out of line
And ill I need, Is to turn around
To make you last, to make you count
Gone away, make the same mistakes”
Augustana

Eu sinto falta daquela época em que a vida era menos complicada. Quando eu saia pra rua de manhã e só voltava à noite, imunda dos pés a cabeça de tanto brincar. Fico relembrando a época em que a minha maior preocupação era não perder em um jogo de pique.

Sinto falta de quando minha maiores dores provinham de ralados e podiam ser curadas com um pouco de mercúrio e cobertos por band-aid colorido.Infelizmente a dor que machuca o coração precisa de muito mais que isso, e a cicatriz não é simplesmente feia. Ela é uma  marca eterna de que dali em diante você não será mais a mesma pessoa.

Gostava de ver o mundo com aqueles olhos inocentes, de fazer perguntas com respostas simples, como: “Mãe, porque o céu é azul?” ; “Pai, a gente paga o táxi pelo peso?”. As perguntas de agora são mais estranhas, “Mãe, será que um dia eu vou ser capaz de sentir isso?” ; “Pai, e se no fim das contas a gene simplesmente morrer, qual o sentido disso tudo?”. E infelizmente, eles não tem uma boa resposta pra mim.

Ah como eu gostava de ver o mundo com aquele olhar inocente, de dizer pra todos o que eu achava e nem sequer tomar conhecimento dos estragos que eu podia fazer, e se eu fizesse, qual era o problema? Era só um criança que não tinha idéia do que estava falando. Quando eu podia ver o mundo e passar pelas mentiras, pela inveja, pela tristeza sem ver o quanto elas eram perigosas. E hoje eu olho em volta, só pra me deparar com o interesse dos outros e me sentir tão impotente e incapaz.

Sinto falta da inocência de um tempo que nunca vai voltar. Talvez eu precise de colo e de alguém fazendo carinho no meu cabelo, e essa pessoa vai me dizer que é só um pesadelo, depois vai secar minhas lágrimas. E depois de tudo isso, e jamais terei que lidar com outro problema, porque eu simplesmente não consigo mais lidar com problemas.

Anúncios

7 comentários

  1. Vinícius Cortez · janeiro 27, 2011

    Vc não pode pensar assim, ou sou adulto ou sou feliz. O desencanto com o mundo é mais que uma coisa biológica, de pq seus ossos cresceram ou o quê. É uma *ideia* ruim.

  2. Vinícius Cortez · janeiro 27, 2011

    Mas não quis soar rabugento 😉

    • viihloyer · janeiro 29, 2011

      Eu juro que um dia eu vou conseguir escrever alguma coisa que vc goste e não tenha nada pra reclamar sobre ! kkkk
      vou treinar só pra isso !

      • Vinícius Cortez · janeiro 29, 2011

        desculpa! mas se eu tivesse achado ruim não tinha comentado 😛

        é bom que eu não concorde totalmente… pq mostra que eu li o que vc escreveu!

      • viihloyer · janeiro 30, 2011

        viuu, já tá brigando cmg de novo !

  3. jade · julho 30, 2011

    Eu adoro seus textos e me identifico mto com oq você escreve pois parece q fui eu mesma que escrevi! Faz tempo q nao leio seu blog mas hj voltei a ler! Parabens

    • viihloyer · julho 30, 2011

      Ahh obrigada ! que bom que gosta !

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s