Aprendendo a viver…

Geralmente eu coloco alguma frase antes dos meus textos, mas pra esse apenas uma frase não seria tudo. Então aconselho a quem estiver interessado  a lê-lo ouvindo ‘ If today was your last day” nenhuma música pode representá-lo melhor.

Às vezes a gente vê que tem coisas que não dependem de nós. O externo muda pra gente, torna algo novo e desconhecido. Cria um ambiente desconfortável e complicado. E nossa mente já tão confusa se torna apenas um emaranhado de informações.

Somos pequenas pedras brutas que o mundo vai lapidando. O problema é que o mundo não tem os aparelhos que podem fazer isso com sutileza. Ele precisa usar ferramentas pesadas, pontiagudas e imprecisas. E as pedras vão ficando com alguns pequenos defeitos.

É difícil deixar pedaços pra trás. Nossa vida é feita por pequenos e grandes momentos. E quando eles acabam só nos resta a vontade de fazer outra vez. Mas o tempo passa, ele não perdoa e não te dá uma segunda chance. Um dia eu me perdi no passado, acredite, é um lugar tão difícil de deixar. É um lugar confortável, conhecido.

E enquanto eu estava perdida no passado o futuro foi cobrando o seu tributo. A carga que eu deveria ter carregado em várias viagens se acumulou. E de repente milhares de tarefas estavam na minha frente. Elas precisavam ser cumpridas.

Foi nesse dia que eu notei que não se pode viver de passado. Porque o tempo vai passar. Ele vai carregar o que você gosta por mais que você se prenda. Ele leva, porque mesmo que você não saiba você não precisa mais do que ele levou.

Então a criança se torna menina, a menina se torna mulher. As necessidades são diferentes, os medos, os desejos, as manias. Você se torna um desconhecido pra você mesmo. E é sempre difícil lidar com isso. E é aí que entra maturidade.

Aquela que você adquire sem perceber. Você ganha sem pedir e não há como devolver. Alguns ganham mais cedo e outros só anos mais tarde. Mas em algum momento eles vão ganhar. Claro que esse é aquele tipo de presente que pode ser adiado.

Mas de que vale adiar o inevitável. Porque não receber logo de uma vez e aprender a lidar? Quantos antes melhor… Será?
É impossível ser uma eterna criança, mas por outro lado não é possível uma criança ser um adulto. Experiência não vem no nascimento e sim com a vivência. Mas uma criança vive do que? Toda criança precisa de um guia, de uma mão amiga.

Se um dia eu tiver filhos quero que eles amadureçam cedo. Não, não quero que eles não tenham infância. Apenas quero ajudá-los. Quero que num determinado momento eles não precisem aprender algo que poderiam ter aprendido mais cedo. É uma questão de senso, fica claro que uma criança que está aprendendo a ler jamais entenderá um clássico.
E então voltamos aos momentos. Pra tudo na vida existe um momento certo, basta que saibamos reconhecê-los. Decisões estão esperando pra serem tomadas, e só cabe a nós tomá-las. Então porque não?

É difícil entender que a vida nem sempre será fácil. É difícil aceitar sabendo que você pode ignorar, que você pode deixa pra depois. Mas fugir não vai fazer com que o problema encontre uma auto-solução. É a sua coragem que vai resolvê-lo.
Então, um novo mérito da vida. O que é coragem? Fazer esportes radicais? Por a vida a prova? Se por a prova? Entrar numa jaula de leões? Talvez sim. Talvez seja exatamente isso. E quem vai te convencer que uma maratona de aulas por dia não é um esporte radical? Quem vai dizer que comer uma comida horrorosa não é por a vida a prova? Quem vai te desafiar e dizer que estar em sociedade não estar em uma jaula com leões?

Ser corajoso é viver com o coração. Não quer dizer que deva se tornar inconseqüente. Mas agir com o coração é bom. É garantia de aprendizado. Ser impulsivo? Não faz mal, não as vezes. Mas ter coragem. Se entregar, pular fundo. Existe um motivo pra se estar na terra. E ele se chama viver.
Viver e deixar acontecer. O mundo está esperando por você, ele vai te abraçar e vai te chacoalhar. Ele vai te lapidar. Ele vai te transformar. Mas toda borboleta um dia foi lagarta, e nem por isso ela teve medo de se deixar transformar.

Essa é a grande verdade. Ninguém disse que a vida era um mar de águas calmas. E não deixar o tempo agir sobre você é nadar contra a corrente.
Então seja. Seja o que você pode, mas não deixe de ser um pouco mais. Viva, como você sabe, mas não ignore como você pode viver. Sinta como você consegue, mas não esqueça que sempre se pode se sentir com mais intensidade. Não estou dizendo isso pra que seja um eterno descontente, e sim pra que não se assuste quando acontecer. Entenda que algumas coisas podem ser prevenidas.

Sou nova demais pra dizer que tenho experiência. Sou uma menina ainda, querendo ser adulta. Uma menina vivendo um momento tenso e cheio de decisões. Mas eu sou obrigada a conviver com elas. E se posso dar um conselho é esse: deixe as coisas acontecerem.

Um dia uma amiga disse que tendo o medo como aliado ela acabava ganhando de brinde a burrice. Medo… Largue-o, abandone-o. Ele é seu mais cruel aliado e você o encontra em cada esquina. Porque como jovem você não conhece muito, e quem não conhece teme.

Dizem que as pessoas que quase morrem aproveitam mais a vida. Porque elas entendem o quanto a vida é passageira. E alguns sábios dizem quem chega às portas de Perséfone e consegue driblá-la volta completamente diferente. Essa pessoa volta com gana de viver, sem medo de aproveitar, com a certeza de que tudo que pode ser feito deve ser feito.Acho que não é necessário chegar a tal ponto. Mas um dia é feito por 24 horas, e cada hora perdida vai contar em algum momento. Seja de coração. E olhe pra frente. Entenda que tudo o que te dá medo precisa ser afugentado por você.

Como eu disse o mundo só tem materiais incorretos pra te lapidar. Então peça licença. Pegue os materiais que o mundo te deu e diga pra ele: Observe-me!

By:. Viih Loyer

Anúncios

4 comentários

  1. Suzie · abril 6, 2010

    Bom não sei nada de inglês ;P

    Mas sobre o seu texto é realmente muito bom ^^

    Bjos

  2. Jeh · abril 17, 2010

    Foi feito pra mim! =D … literalmente!!

  3. neowellblog · abril 18, 2010

    Temos muitos papéis na vida! Entre ser adulta e criança seja os dois nos momentos certos. Não se preocupe tanto!!! Resolva os problemas que você percebe serem planejáveis, os incompreenciveis você vai compreender com o tempo e se não compreender é porque não tem tanta importância!!! =) Seja feliz!!! ^^

    Visite meu blog, você será bem vinda! =)

    Grande abraço!

    http://neowellblog.wordpress.com

    • viihloyer · abril 21, 2010

      mas é aí mesmo que está a questão. Eu nunca consigo chegar a uma conclusão de qual problema é planejável.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s