Era uma vez…

“A verdadeira deficiência é aquela que prende o ser humano por dentro e não por fora, pois até os incapacitados de andar podem ser livres para voar.”

Thaís Moraes

Era uma vez uma menina que se olhou no espelho. Essa menina viu uma pessoa com duas pernas que andam, dois braços capazes de abraçar, viu uma pessoa com dois olhos e que podia enxergar. O que essa menina não sabia, era enxergar as coisas realmente importantes.

Ela viu no espelho uma pessoa que fala bem, que consegue escrever. Viu uma pessoa sem um problema físico sequer. Então em termos biológicos: ela viu uma pessoa perfeita.

Aquela menina no reflexo apesar de perfeita estava triste. Ela achava que a vida era injusta, que tudo era uma conspiração contra ela, que o mundo era seu maior inimigo. Ela achava que ninguém era capaz de entendê-la, que ninguém havia se sentido tão mal quanto ela.

Essa mesma menina precisou sair. E sentada no ônibus ela teve tempo de deixar seu próprio reflexo e olhar para o mundo.

Pela calçada vinha um senhor lutando contra os degraus e buracos. Ele empurrava uma mulher que estava em uma cadeira de rodas. A menina desviou os olhos, era tão mais fácil se olhar no espelho e notar a força das próprias pernas.

Um pouco adiante ela viu uma mulher sendo guiada por um cão, a mulher não era capaz de enxergar. Novamente a menina desviou os olhos. Era mais cômodo se lembrar do quanto podia enxergar na luz do dia.

Quando desceu do ônibus a menina viu uma criança sentada no chão quente. A criança estava suja e magra. Provavelmente com fome.

A menina seguiu o seu caminho. Essa garota que se sentia tão triste por aparentemente estar só, e por não poder fazer algumas futilidades viu o quanto estava sendo egoísta.

Hoje eu me olhei no espelho, e vi uma pessoa perfeita. Hoje eu precisei sair de casa. Hoje eu vi coisas que costumam passar despercebidas.

Não digo que me senti mais feliz por ser alguém sem deficiências. Mas hoje eu vi o quanto tenho coisas e não dou valor a elas. Tenho coisas que são tão essenciais e que uso tão constantemente que me parecem eternas, parecem obrigatórias e incluídas em todos os seres humanos.

Hoje eu vi que tenho MUITO. Vi que existem milhares de pessoas por aí que adorariam ter o que eu tenho. Eu aprendi hoje. Eu dei valor, e notei pela primeira vez depois de 16 anos de uso, o quando sou privilegiada.

Notei que meu reflexo não é nada perto do que me mostra o reflexo do mundo. Aprendi a usar os meus olhos que podem ver tão bem, aprendi a olhar pras coisas certas. Vi que meus problemas são ínfimos, e que meu umbigo não realmente a preocupação central do universo.

Pois é, a menina que se olhou no espelho era eu…

By:. Viih Loyer

Anúncios

4 comentários

  1. Ana Paula · abril 29, 2010

    Muito legais os seus textos…me identifiquei muito com esse! Parabens porque você consegue se expressar assim. Queria eu, poder me expressar escrevendo, muitas vezes não consigo nem falando. Acho muito bonito isso. Beijoos

    • viihloyer · abril 30, 2010

      Muito obrigada ! *-*

  2. Jady · maio 3, 2010

    eu me identifikeii muito com oq vc escreveu, as vezes axo q só minha vida é pessima, mais depois do q eu li eu percebi q o mundo naum gira só em torno de mim, e tem pessoas passando por situações piores q eu e mesmo assim são felizes, eu to angustiadaa e me alivia um pokoo qndo eu leio oq vc escreve, vc está de parabens!

    • viihloyer · maio 3, 2010

      Obrigada !

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s